/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Onda de calor aumenta no sul da Itália, norte prevê tempestades

Anticiclone Caronte ainda não atingiu o pico no país

ROMA, 19 julho 2023, 14:54

Redação ANSA

ANSACheck

Onda de calor vai suavizar no norte e permanecer no sul - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Enquanto o anticiclone Caronte, que causa uma onda de calor na Itália, ainda não atingiu o pico no sul, a Defesa Civil já alerta para temporais e chuvas de granizo no norte do país.

As chuvas nas regiões da Lombardia, Emilia-Romagna, Vêneto, Friuli Veneza Giulia e Trentino Alto Adige já começam nesta quarta-feira (19).

Em outras partes do país a previsão se manteve de sol com termômetros na casa dos 40ºC, caso de Bolonha e Ferrara.

Em Isola Maggiore, na Umbria, a expectativa é de que os termômetros marquem até 46ºC.

A partir de quinta (20) o fenômeno começa a se deslocar, baixando as temperaturas no centro-norte e levando a um gradual novo aumento no sul, especialmente no fim de semana, segundo o portal iLMeteo.it.

A onda de calor causou aumento de uso de energia elétrica no país, que chegou, nesta quarta, a 59,10 gigawatts, perto do recorde do país, registrado em julho de 2015, de 60,5 gigawatts.

Em alguns locais, como Nápoles, no sul, a rede elétrica está sobrecarregada pelo uso de aparelhos climatizadores e moradores relatam frequentes quedas de energia.

Também em Nápoles, os operadores do telefone de emergência, que na Itália é o número 118, registraram aumento no número de atendimentos.

Os registros estão 15% acima da média e o total já chega a 3 mil ligações por dia, com pedidos de socorro para casos de desmaios, desidratação e hipertensão, principalmente para crianças e idosos.

Diante dos riscos à saúde, o Ministério do Trabalho italiano convocou uma reunião para esta quinta-feira (20) com empresas e sindicatos para discutir medidas de cuidado durante picos de calor.

"Acompanhamos com atenção a evolução das condições climáticas na Itália e os relativos impactos nos contextos trabalhistas e produtivos: a saúde e a segurança nos locais de trabalho são prioridade", declarou a ministra, Marina Calderone.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use