/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Número mortes confirmadas na Líbia chega a 5,5 mil

No entanto, estimativas apontam que a cifra pode chegar a 20 mil

ROMA, 14 setembro 2023, 09:06

Redação ANSA

ANSACheck

Inundações devastaram a cidade de Derna, na Líbia oriental © ANSA/EPA

(ANSA) - Subiu para 5,5 mil o número confirmado de mortes nas devastadoras inundações que atingiram a parte oriental da Líbia no início da semana.

O balanço foi divulgado nesta quinta-feira (14) pelos Serviço de Emergência do governo de união nacional reconhecido pela ONU e baseado na capital Trípoli. De acordo com o boletim, outras 7 mil pessoas ficaram feridas.

No entanto, alguns veículos da imprensa líbia já falam em mais de 6 mil mortos no desastre natural, enquanto outros meios estimam que o número pode chegar a 20 mil. Centenas de corpos foram arrastados pela força da água até o Mediterrâneo, o que dificulta a contagem das vítimas.

A cidade mais atingida foi Derna, cujo prefeito, Abdulmenam al-Ghaithi, destacou nesta quinta a necessidade de "equipes especializadas em procurar corpos". "Temo que a cidade seja contaminada por uma epidemia por causa do grande número de cadáveres sob os destroços e na água", acrescentou.

As ajudas internacionais estão começando a chegar lentamente em Derna, mas a própria situação política da Líbia prejudica a efetividade das operações de emergência.

Desde a queda do ditador Muammar Kadafi, em 2011, a Líbia é palco de disputas entre milícias que hoje se dividem entre dois governos: o gabinete de união nacional sediado em Trípoli e reconhecido pela ONU e um paralelo com base em Sirte e que controla a porção do país afetada pelas inundações.

Enquanto isso, o presidente do Conselho Presidencial Líbio, Mohamed al-Menfi, que faz as vezes de chefe de Estado, ordenou que o Ministério Público investigue os colapsos de duas barragens em Derna, que foram cruciais para a magnitude da tragédia.

Há relatos de que os reservatórios estavam sem manutenção havia anos. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use