/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Crise climática pode causar 'savanização' da Amazônia, diz Lula

BRASILIA, 01 dezembro 2023, 11:10

Redação ANSA

ANSACheck

petista voltou a cobrar dos países ricos o aporte de US$ 100 bilhões anuais para "mitigar" os efeitos do aquecimento global © ANSA/EPA

(ANSA) - Em seu segundo discurso na COP28, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), comentou que as mudanças climáticas podem causar a "savanização" da floresta amazônica.

"O aumento da temperatura global poderá desencadear um processo irreversível de savanização da Amazônia. Os setores da energia, da indústria e do transporte emitem muitos gases de efeito estufa, temos que lidar com todas essas fontes", disse o mandatário.

"A emergência climática já é uma realidade [no Brasil]. A Amazônia está atravessando neste momento uma seca inédita, o nível dos rios é o mais baixo em mais de 120 anos, nunca imaginei que veria isso onde estão os maiores reservatórios de agua do mundo", acrescentou.

O petista voltou a cobrar dos países ricos o aporte de US$ 100 bilhões anuais para "mitigar" os efeitos do aquecimento global e pediu uma "união de forças" para enfrentar o "maior desafio já enfrentado pela humanidade".

A solução da crise não pode ficar nas costas dos países em desenvolvimento com grandes florestas, como o Brasil, opinou Lula em seu discurso.

"Os mais vulneráveis não podem ter que escolher entre combater a mudança climática e combater a pobreza" da população que mora nas florestas, afirmou o presidente.

Por volta de 26 milhões de pessoas, muitas em situação de pobreza e miséria, habitam a Amazônia brasileira. Em 2025, Belém, capital do Pará e a segunda cidade mais populosa da região, será sede da COP30.

Lula fechou sua participação citando uma lenda indígena segundo a qual "o rio Amazonas nasceu das lágrimas da Lua e a ela teve que abrir mão de seu amor pelo Sol para que a Terra não fosse destruída pelo calor".
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use