/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Minerais críticos serão um dos focos da Itália no comando do G7

País preside o grupo das sete potências em 2024

ROMA, 09 janeiro 2024, 10:21

Redação ANSA

ANSACheck

Mina de lítio na Bolívia: mineral é crucial para baterias elétricas © ANSA/EPA

(ANSA) - O governo da Itália pretende dar atenção especial ao tema dos minerais críticos durante sua presidência no G7 em 2024.

Essas matérias-primas serão essenciais na transição para uma economia de baixo carbono, como na produção de baterias para veículos elétricos, e incluem lítio, cobalto, nióbio, entre outros.

Em meio a esse contexto, o ministro do Meio Ambiente e da Segurança Energética da Itália, Gilberto Pichetto Fratin, participou de um fórum sobre "minerais do futuro" em Riad, na Arábia Saudita, e garantiu que o setor será um dos "focos do programa" da presidência italiana no G7.

"Estou aqui para confirmar a forte atenção com a qual a Itália olha para o setor de minerais críticos. Nosso país está pronto para ser o hub do Mediterrâneo, se colocando como ponte entre Europa, África e Oriente Médio, para favorecer uma transição energética segura e sustentável", assegurou Pichetto.

Segundo o ministro, a Itália "sempre foi berço de ciência, tecnologia e capacidade industrial". "Estamos prontos a trabalhar em estreita colaboração com o setor privado, promovendo nas regiões produtoras de minerais críticos a criação de cadeias de abastecimento circulares, seguras e sustentáveis", ressaltou.

Além da Itália, o G7 inclui Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use