[an error occurred while processing the directive] Meta imita Musk e anuncia selo pago para contas verificadas - Ciência e Tecnologia - Ansa.it
/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Meta imita Musk e anuncia selo pago para contas verificadas

O "Meta Verified" será disponibilizado para Facebook e Instagram

SÃO PAULO, 19 fevereiro 2023, 15:46

Redação ANSA

ANSACheck

Sede da Meta em Menlo Park, na Califórnia, EUA © ANSA/EPA

(ANSA) - A Meta, empresa proprietária do Facebook e Instagram, vai lançar um selo de verificação para perfis mediante pagamento, ideia semelhante ao controverso modelo introduzido pelo bilionário Elon Musk no Twitter.

Por US$ 11,99 por mês (R$ 62 pela cotação atual), o selo "Meta Verified" permitirá, segundo o CEO Mark Zuckerberg, "autenticar a própria conta com um documento, ter um selo azul, obter proteção extra contra furtos de identidade e acesso direto ao suporte ao cliente".

De acordo com o executivo, o serviço estará disponível apenas para usuários com mais de 18 anos e vai estrear já nesta semana, começando por Austrália e Nova Zelândia.

"Esse novo recurso vai aumentar a autenticidade e a segurança em nossos serviços", diz um comunicado divulgado por Zuckerberg neste domingo (19). A Meta alega que não haverá mudanças para as contas no Facebook e no Instagram já verificadas.

A novidade chega em meio ao momento delicado vivido pelas empresas de tecnologia e internet, com recorrentes anúncios de demissões em massa para recolocar os lucros em uma trajetória ascendente.

A própria Meta anunciou em novembro passado a demissão de 11 mil funcionários, o que representa cerca de 13% de sua força de trabalho. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use