/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Nuvem de cinzas vitrificou cérebros de vítimas em Herculano

Pesquisadores analisaram restos de madeira carbonizada

ROMA, 12 abril 2023, 10:09

Redação ANSA

ANSACheck

Descoberta foi feita por um grupo de geólogos - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Um estudo elaborado na Itália apontou que, após a erupção do Vesúvio, a cidade de Herculano foi atingida por uma densa nuvem de cinzas que vitrificou os cérebros das vítimas.

Os resultados da pesquisa, conduzida por um grupo de geólogos liderado por Guido Giordano, surgiram depois de uma minuciosa análise de alguns restos de madeira carbonizada.

Além de reconstruir com mais precisão os eventos termais associados à histórica erupção, a pesquisa oferece sugestões para melhorar a segurança das pessoas que vivem atualmente nas proximidades do vulcão.

Em 79 d.C., a nuvem de cinzas que entrou em Herculano em função da erupção do Vesúvio tinha uma temperatura de até 600 graus, o que causou a morte instantânea das pessoas que tentaram se refugiar nos edifícios da cidade e no mar.

A mistura entre a nuvem e a água do mar resfriou as cinzas, que envolveram os corpos das pessoas que já haviam morrido pelo calor extremo. Esse evento seria a base da transformação em material vítreo do tecido cerebral de alguns antigos habitantes de Herculano.

Os especialistas ainda detectaram a presença de fluxos piroclásticos, elemento que teria impedido que o tecido cerebral das vítimas fosse completamente vaporizado pelo calor. A pesquisa alertou para os graves danos provocados pela substância.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use