Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

OpenAI proíbe uso de ChatGPT em campanhas eleitorais

Geradora de imagens Dall-E também fica vetada

ROMA, 16 janeiro 2024, 14:59

Redação ANSA

ANSACheck

Decisão foi divulgada pela OpenAI © ANSA/EPA

Este ano, bilhões de pessoas em algumas das maiores democracias do mundo irão às urnas, da Europa aos Estados Unidos, enquanto cresce a preocupação de que os sistemas de inteligência artificial possam gerar desinformação em massa e influenciar os eleitores.

A OpenAI, empresa emblemática da IA generativa com o ChatGPT, delineou seus planos para tentar proibir o uso de sua tecnologia para criar candidatos falsos e visa detectar fotos geradas por software.

"Queremos garantir que nossa tecnologia não seja usada de maneira que possa minar o processo democrático", explica a empresa liderada por Sam Altman, que dois meses atrás foi removido e depois reintegrado como CEO, devido a preocupações de que a tecnologia pudesse ficar fora de controle.

Além do popular software ChatGPT, a OpenAI produz o gerador de imagens Dall-E e fornece seu sistema de inteligência artificial para muitas empresas, incluindo a Microsoft.

Em seu blog, declarou que não permitirá que as pessoas usem sua tecnologia para criar aplicativos para campanhas políticas e atividades de lobby, para desencorajar as pessoas a votar ou espalhar desinformação sobre o processo de votação.

E não permitirá que os desenvolvedores criem chatbots que finjam ser candidatos ou instituições.

Também afirmou que começará a incorporar em imagens criadas por seu gerador Dall-E uma ferramenta para detectar fotos criadas por inteligência artificial.

Será lançado "no início deste ano", e está sendo testado por um grupo de pessoas, incluindo jornalistas e pesquisadores.

"Estamos trabalhando para antecipar e prevenir abusos relevantes, como deepfakes enganosos, operações de influência em larga escala ou chatbots que se passam por candidatos", diz a OpenAI, na postagem do blog.

Em relação às eleições nos Estados Unidos, em particular, a empresa explica que direcionará as perguntas dos usuários sobre o processo eleitoral para fontes confiáveis, como o CanIVote.org.

As medidas da OpenAI ocorrem depois que outras empresas de tecnologia também atualizaram suas políticas eleitorais para lidar com o aumento da inteligência artificial.

Em dezembro, o Google declarou que limitaria o tipo de respostas fornecidas por suas ferramentas de IA a perguntas relacionadas às eleições.

E exigirá que quem comprou espaços publicitários eleitorais revele quando a inteligência artificial foi usada.

Meta, a empresa-mãe do Facebook, também pedirá aos anunciantes políticos que revelem se usaram essa tecnologia.

"Até que saibamos mais, não permitiremos que as pessoas criem aplicativos para campanhas políticas e lobby. Teremos mais para compartilhar nos próximos meses", conclui a OpenAI. O jogo está apenas começando. 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx