Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Roma, a 'cidade eterna', completa 2.776 anos de existência

Prefeito exibiu medalha achada em escavação para celebrar a data

ROMA, 21 abril 2023, 13:44

Redação ANSA

ANSACheck

Vista do Coliseu, um dos grandes símbolos de Roma - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A cidade de Roma, capital da Itália, completa nesta sexta-feira (21) 2.776 anos de existência.

A data, chamada "Natal de Roma", remete à lenda da fundação da "cidade eterna" por Rômulo, em 21 de abril de 753 a.C.

Para celebrar o aniversário, o prefeito Roberto Gualtieri apresentou uma medalha comemorativa que foi recentemente restaurada após ter sido encontrada durante escavações das obras de uma linha de metrô.

O objeto de vidro decorado representa a personificação de Roma com elmo e lança e remete, segundo Gualtieri, a um "passado de desafio, mas também de oportunidade". "A característica do mito fundador na base dessa data é justamente a valorização do caráter inclusivo e aberto de Roma", acrescentou.

De acordo com o prefeito, Rômulo afirmou que "todos aqueles que quisessem se tornar cidadãos de Roma poderiam sê-lo, independentemente da origem, das raízes ou da etnia". "Esse aspecto do mito se tornou central na construção da cidade", afirmou.

Já a premiê Giorgia Meloni, que é romana de nascimento, disse que a capital italiana é "berço de civilização e esplendor".

"Cidade eternamente única e que, em seus quase 30 séculos de vida, foi berço de heróis, líderes e visionários. Cidade sem tempo, que se projeta no futuro com a força de sua identidade", ressaltou.

Mito fundador

Como existem poucas referências históricas e documentais sobre a fundação de Roma, acabou prevalecendo a mitologia. Reza a lenda que Amúlio, irmão do rei de Alba Longa, Numitor, conseguiu dar um golpe e prender o monarca, fazendo a filha deste, Reia Silvia, casta para que o soberano não tivesse uma linha de descendência.

No entanto, Marte, deus romano da guerra, engravida Reia, que dá à luz os gêmeos Rômulo e Remo. Sabendo da existência dos bebês, Amúlio pede para que um empregado os mate, mas este, com pena, joga os dois no rio Tibre e espera que as crianças nunca mais voltem.

Mas elas são resgatadas por uma loba, que cuida dos bebês até que um casal de pastores os encontra. Tempos depois, Remo se envolve em uma briga com vizinhos e acaba preso. Quando Rômulo salva o irmão, descobre sobre sua história e consegue matar Amúlio e salvar Numitor.

Como agradecimento, o avô dos jovens permite que os dois fundem uma cidade às margens do Tibre. Depois de conflitos sobre quem governaria o novo reino, Rômulo acaba matando seu irmão e criando Roma.

A escultura que retrata os irmãos sendo amamentados pela loba, a "Lupa Capitolina", é um dos ícones da capital da Itália e fica em frente à sede da Prefeitura. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx