/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Bienal de Arte de Veneza dará Leão de Ouro a ítalo-brasileira

Anna Maria Maiolino será homenageada na próxima edição do evento

VENEZA, 03 novembro 2023, 10:21

Redação ANSA

ANSACheck

Anna Maria Maiolino e Nil Yalter, homenageadas da 60ª edição da Bienal de Arte de Veneza - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A artista plástica ítalo-brasileira Anna Maria Maiolino, de 81 anos, será agraciada com o Leão de Ouro pela carreira na 60ª edição da Bienal de Arte de Veneza, que começa em 20 de abril de 2024.

A homenagem foi aprovada nesta sexta-feira (3) pelo conselho de administração da Bienal de Veneza, que também vai entregar o Leão de Ouro honorário para a artista turca Nil Yalter, 85.

"Essa decisão é particularmente significativa, à luz do título e do contexto da mostra, centrada em artistas que viajaram e migraram entre norte e sul, entre a Europa e outros países", disse o curador da 60ª Bienal de Arte, o brasileiro Adriano Pedrosa.

Segundo ele, a escolha recai sobre "duas artistas extraordinárias e pioneiras, além de imigrantes e que encarnam em muitas maneiras o espírito" do título do evento, "Stranieri Ovunque" ("Estrangeiros por todo lugar").

Maiolino nasceu em Scalea, na Itália, em 1942, mas se radicou no Brasil e hoje vive em São Paulo, enquanto Yalter, natural do Cairo, no Egito, tem nacionalidade turca e reside em Paris, na França. Ambas participarão da Bienal de Arte de Veneza pela primeira vez.

Segundo a Galeria Luisa Strina, que representa Maiolino, o trabalho da artista "desenvolve-se por uma variedade de meios: poesia, xilogravura, fotografia, cinema, performance, escultura, instalação e, acima de tudo, desenho".

"O amplo espectro de interesses e atitudes que fundamentam sua obra não segue um desenvolvimento linear no próprio trabalho ou no tempo. Pelo contrário, pela diversidade de meios, ela cria uma teia em que temas e atitudes se entrelaçam enquanto significados migram entre um trabalho e outro", diz um perfil publicado no site da galeria.

Maiolino tem obras nos acervos de mais de 30 museus, incluindo MoMA (Nova York), MoCA (Los Angeles), Masp (São Paulo), Malba (Buenos Aires), Reina Sofia (Madri), Centre Pompidou (Paris), Tate Modern (Londres) e Galleria Nazionale (Roma).

Na Bienal de Veneza, ela se apresentará com um novo trabalho de grandes dimensões e que dá sequência a uma série de esculturas e instalações em argila. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use