/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Unesco conclui conferência em Nápoles sobre patrimônios mundiais

Carta 'O Espírito de Nápoles' conclama países à ação sobre tema

NÁPOLES, 29 novembro 2023, 17:25

Redação ANSA

ANSACheck

Tajani na Conferência da Unesco - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Uma carta chamada 'O Espírito de Nápoles' é o apelo à ação ("Call for action") dirigido aos países membros da Unesco "para uma proteção mais eficaz do patrimônio", atuando especialmente contra as mudanças climáticas, que impactam a preservação dos locais, e contra o turismo em massa que poderia comprometer a identidade dos territórios.

Este é o documento programático final da Conferência da Agência das Nações Unidas para a Cultura, encerrada nesta quarta-feira (29) no Palazzo Reale , em Nápoles.

No texto, apela-se a todos os Estados da Unesco para promoverem "uma visão prospectiva", implementando políticas e estratégias públicas destinadas a proteger o patrimônio cultural, tanto material quanto imaterial, e também natural por meio de abordagens holísticas.

"Precisamos repensar a abordagem para a proteção de todos os tipos de patrimônio cultural integrando a perspectiva e colocando a sociedade civil e as populações indígenas no centro de nossas ações", disse Audrey Azoulay, diretora-geral da Unesco.

A carta solicita aos países da Unesco que "promovam respostas inovadoras" para enfrentar os desafios que os locais enfrentam e garantir o bem-estar e a vida sustentável das comunidades locais e das populações indígenas que vivem dentro e ao redor de lugares que são patrimônio cultural.

Uma carta que, como destacou o ministro da Cultura, Gennaro Sangiuliano, "é rica em sugestões operacionais para a proteção do patrimônio": "Esta Conferência foi uma oportunidade de diálogo, de troca de experiências em um momento marcado por guerras e crises internacionais, demonstrando que a cultura é uma terra de diálogo entre os povos".

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Tajani, também expressou satisfação durante a sessão conclusiva: "Escolhemos Nápoles como sede desta conferência de três dias da Unesco porque é uma cidade maravilhosa. Mesmo no próximo ano, quando a Itália estiver liderando o G7, mostraremos nossas belezas: por isso, decidimos realizar a reunião dos ministros das Relações Exteriores em Capri" "A Itália é um gigante mundial da cultura pelo patrimônio que preserva, pelas belezas que possui, pela história milenar, mas também por tudo o que está fazendo ao redor do mundo para proteger o patrimônio artístico", disse.

Na chamada para ação, os países da Unesco são convidados a garantir a inclusão social e econômica por meio de estratégias e iniciativas de conservação e preservação do patrimônio "que incorporem a perspectiva de gênero e promovam o diálogo e a transmissão intergeracional envolvendo os jovens".

O texto também pede ações para fortalecer e expandir parcerias para aumentar as capacidades local, nacional e regionalmente "para utilizar a cultura como vetor de inclusão social, crescimento econômico, emprego e força transformadora para o desenvolvimento sustentável, resiliência e construção da paz"; desenvolver e implementar políticas turísticas "sustentáveis que priorizem a preservação do patrimônio", fornecendo soluções inteligentes para enfrentar os desafios do excesso de turismo.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use