/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália aprova imposto de 40% sobre lucros extras de bancos

ROMA, 07 agosto 2023, 18:39

Redação ANSA

ANSACheck

Anúncio foi feito pelo vice-premiê da Itália em coletiva - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O governo italiano aprovou nesta segunda-feira (7) um imposto inesperado de 40% sobre os bancos para 2023, na tentativa de ajudar detentores de hipotecas e para reduzir taxas.

"Não vamos entrar no mérito dos números, mas basta olhar os lucros dos bancos no primeiro semestre de 2023, também resultado dos aumentos de juros do Banco Central Europeu, para perceber que não estamos falando de alguns milhões, mas de bilhões, pode-se supor", declarou o vice-premiê da Itália e ministro de Infraestrutura, Matteo Salvini, em entrevista coletiva.

A decisão foi tomada durante um conselho de ministros em Roma e, segundo Salvini, o ministro da Economia italiano, Giancarlo Giorgetti, aprovou "uma regra de equidade social, que é um imposto sobre lucros extras bancários limitado a 2023".

A medida prevê que todos os recursos serão destinados a dois itens: ajuda para hipotecas da primeira casa e redução de impostos. Além disso, estabelece que o imposto extraordinário para 2023 tem uma taxa de 40%, mas não pode, em caso algum, ultrapassar 25% do patrimônio líquido.

"Se o custo do fardo do dinheiro para famílias e empresas aumentou e dobrou, não dobrou igualmente, rápido e significativo o que é dado aos correntistas", acrescentou Salvini, reforçando que há uma grande diferença entre as taxas aplicadas aos empréstimos e depósitos.

De acordo com fontes do governo, a cobrança sobre os lucros extras dos bancos deve render mais de 2 bilhões de euros aos cofres do Estado.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use