/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Consumo das famílias supera nível pré-pandemia na Itália

Alta foi puxada principalmente pelos setores de turismo e alimentos

ROMA, 22 agosto 2023, 11:39

Redação ANSA

ANSACheck

Consumo das famílias deve retornar aos níveis pré-pandemia - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O consumo das famílias italianas vai retornar à normalidade em 2023, superando o patamar pré-pandemia, segundo a associação do setor de comércio do país, a Confcommercio.

A elevação será para 21.083 euros (R$ 113,4 mil) ao ano, ante um nível pré-pandêmico de 20.814 euros (R$ 111,9 mil), alta que foi puxada principalmente pelo setor de turismo.

Dentro do setor de turismo, há projeção de aumentos consistentes em 2023 em viagens, férias e hotéis (23,6%), serviços recreativos e culturais (9,7%), e bares e restaurantes (8%) No entanto, o presidente da Confcommercio, Carlo Sangalli, ressalvou que a economia está em fase de desaceleração: "Alguns nós ainda não foram resolvidos. Precisamos da plena realização de investimentos, e de uma reforma fiscal".

"O crescimento dos serviços e do turismo pode colocar este ano em consumos em nível de normalidade. Consumos que valem 60% do PIB [Produto Interno Bruto]", complementou.

Analisando os dados desde 1995, para ele, o crescimento é considerado "decepcionante": "Demonstra uma patologia de pouco crescimento estrutural".

A análise também interpreta, através do consumo das famílias, como mudaram os hábitos dos italianos nas últimas três décadas: "Cada vez mais tecnologia e tempo livre, menos refeições em casa e gastos com móveis e decoração. O consumo de roupas está nos níveis de 1995".
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use