/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Argentina terá pacote de medidas para limitar inflação

Iniciativa tenta conter desvalorização do peso

BUENOS AIRES, 28 agosto 2023, 12:15

Redação ANSA

ANSACheck

Sergio Massa quer conter impactos da desvalorização do peso © ANSA/EPA

(ANSA) - O ministro da Economia da Argentina, Sergio Massa, anunciou um pacote de medidas para atenuar os efeitos da recente desvalorização de 22% do câmbio do peso, autorizada por ele após recomendação do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A iniciativa ocorrerá no âmbito do Programa de Reforço da Atividade Econômica e da Renda do país e foi avaliada em 490 bilhões de pesos (R$ 6,8 bi) segundo o jornal Clarín, incluindo ganhos fixos para os trabalhadores, melhorias para os autônomos, aumentos para aposentados, apoio às exportações e alívios fiscais para economias regionais.

As medidas, segundo a agência Telam, também têm em vista pequenas e médias empresas, e compreendem um acordo sobre o congelamento de preços com mais de 425 empresas com 53 mil produtos de primeira necessidade.

No Twitter, Massa lembrou que "a Argentina tem um empréstimo de 2018 com o FMI que levou nos últimos dias a uma desvalorização da nossa moeda. Também precisamos fazer contas com uma seca, a pior da nossa história, que comprometeu nossas reservas e contas, e atingiu a economia de muitas famílias".
   
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use