Inflação inicia 2024 na Itália em aceleração

Índice fechou janeiro com alta mensal de 0,3% e anual de 0,8%

Cartaz do 'Trimestre Anti-Inflação', iniciativa do governo da Itália para segurar preços de alimentos no fim de 2023 (foto: ANSA)
Cartaz do 'Trimestre Anti-Inflação', iniciativa do governo da Itália para segurar preços de alimentos no fim de 2023 (foto: ANSA)

(ANSA) - A inflação iniciou o ano de 2024 na Itália com sinais de aceleração, segundo dados preliminares divulgados nesta quinta-feira (1º) pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat).

De acordo com o órgão, o Índice de Preços de Consumo para a Coletividade (NIC) fechou janeiro com alta de 0,3% na comparação com dezembro e de 0,8% em relação ao primeiro mês do ano passado.

Em dezembro, a inflação havia registrado crescimento de 0,6% na comparação anual.

Essa aceleração, segundo o Istat, se deve ao aumento dos preços dos serviços de transportes, com alta de 4,3% em janeiro em relação a igual período do ano passado, contra 3,7% de dezembro, e dos bens alimentares não manufaturados (de 7% em dezembro a 7,5% em janeiro).

Também contribuiu para o resultado a desaceleração da deflação dos bens energéticos regulamentados, como tarifas de luz e gás (de -41,6% a -21,4%).

"A inflação evidencia um leve rebote, o que reflete o andamento dos preços de bens energéticos regulamentados, cuja redução em janeiro foi atenuada", disse o Istat. (ANSA)