Itália anuncia isenção fiscal para mães assalariadas

Governo oferecerá isenção de encargos sobre salários

Volta às aulas de estudantes em Gênova (foto de arquivo) (foto: ANSA)
Volta às aulas de estudantes em Gênova (foto de arquivo) (foto: ANSA)

(ANSA) - As trabalhadoras assalariadas da Itália com pelo menos dois filhos, sendo o mais jovem com menos de 10 anos, ou com pelo menos três filhos, sendo o mais novo com menos de 18 anos, poderão receber um bônus do governo, independentemente de renda e patrimônio.

Essas mulheres poderão receber isenção de 100% dos encargos sobre o salário, até um máximo anual de 3 mil euros (R$ 16 mil).

O benefício mensal poderá chegar a 250 euros (R$ 1,3 mil), e o benefício líquido, até 141 euros (R$ 755) por mês, ou 1,7 mil euros (R$ 9 mil) anuais.

O benefício valerá para trabalhadoras do setor público, privado ou agrícola, excluindo as que trabalham em serviços domésticos.

Quanto maior for o salário, maior será o desconto.

Para as trabalhadoras com ao menos três filhos, o benefício para 2025 e 2026 também já foi garantido.

 (ANSA).