/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

CNR e Embrapa assinam acordo de cooperação em pesquisa agrária

BRASÍLIA, 14 março 2023, 18:20

Redação ANSA

ANSACheck

Francesco Azzarello deu entrevista à ANSA © ANSA/Divulgação

(ANSA) - A presidente do Conselho Nacional de Pesquisas (CNR), Maria Chiara Carrozza, assinou nesta terça-feira (14) uma carta de cooperação estratégica com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Para o embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello, "a assinatura do acordo coroa a fundamental visita da presidente Carrozza a Brasília, no contexto de um jogo de equipe que permitiu a finalização de um acordo em um curto espaço de tempo que abre caminho para uma cooperação concreta com um colosso de sucesso como a Embrapa".

O Instituto Federal, fundado em 1973, teve papel decisivo no desenvolvimento do setor agropecuário e zootécnico, permitindo ao Brasil passar de importador até o início da década de 1970 para o terceiro maior produtor mundial setorial, depois dos Estados Unidos e China, mas primeiro exportador com os EUA, alternando a supremacia dependendo do produto.

A Embrapa tem 43 centros de pesquisa e desenvolvimento no Brasil, o dobro da União Europeia (UE).

As principais áreas de interesse do acordo dizem respeito a setores cruciais para as aplicações industriais da pesquisa, como biotecnologia, nanotecnologia, agricultura de precisão, inteligência artificial e drones agrícolas.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use