/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Italiana ENI lança projeto de gás liquefeito no Congo

Projeto vai produzir 3 milhões de toneladas por ano

MILÃO, 25 abril 2023, 09:16

Redação ANSA

ANSACheck

Sede da gigante italiana de óleo e gás ENI em Roma - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A empresa italiana ENI colocou a pedra fundamental de seu primeiro projeto de gás natural liquefeito na República do Congo, país africano que é uma das apostas de Roma para diversificar seus fornecedores.

A cerimônia ocorreu em Pointe-Noire e reuniu o presidente congolense, Denis Sassou Nguesso, e o CEO da gigante de óleo e gás, Claudio Descalzi.

O projeto terá capacidade de produzir 3 milhões de toneladas (4,5 bilhões de metros cúbicos) de gás natural liquefeito por ano e vai aproveitar as jazidas do campo de Marine XII, "satisfazendo as exigências do país para produção de energia elétrica e, ao mesmo tempo, alimentando a exportação", de acordo com ENI.

"Hoje celebramos o início de um dos principais projetos da ENI, que está destinado a contribuir significativamente para a segurança energética e a competitividade industrial italiana e europeia", disse Descalzi.

Serão instaladas duas unidades flutuantes para liquefação de gás natural, sendo que a primeira deve iniciar a produção ainda neste ano, enquanto a segunda entrará em operação em 2025.

"É um resultado que testemunha a importância das alianças de longo prazo com os parceiros africanos, em uma fase que exige importantes escolhas estratégicas sobre a futura diversificação das rotas de abastecimento europeias", acrescentou Descalzi.

Desde o início da guerra na Ucrânia, a Itália passou a estreitar a relação com outros fornecedores de gás natural para reduzir sua dependência energética em relação à Rússia, maior exportadora mundial da commodity. (ANSA) 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use