/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Enel suspende obras em parque eólico na Colômbia

Conflitos sociais ocorrem em área de construção

BOGOTÁ, 31 maio 2023, 17:14

Redação ANSA

ANSACheck

Enel decidiu parar as obras por tempo indeterminado - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A Enel Colômbia suspendeu, por tempo indeterminado, a construção do parque eólico Windpeshi (205 megawatts) no estado de La Guajira, no norte do país. A decisão, informa em nota, foi tomada pela direção da empresa "após terem sido exauridas todas as instâncias de negociação" e "perante a impossibilidade de poder garantir os tempos de construção pré-fixados".

A construção da central era alvo de fortes protestos das comunidades indígenas locais com as quais não foi possível fechar um acordo.

A Enel destaca que, desde o início da obra, além dos estudos de viabilidade da central, foram investidos mais de 7,1 milhões de pesos (cerca de R$ 8 milhões) em projetos relativos à educação, ao acesso à água e ao desenvolvimento da área.

Todavia, segue o comunicado, "mesmo com a constante disponibilidade de diálogo, os trabalhos ficaram parados por quase 50% dos dias trabalháveis ao longo de 2021 e 2022, e até agora, em 2023, o dado subiu para 60%".

"Essa decisão nos fere não só como empresa, mas como cidadãos comprometidos com grande entusiasmo e responsabilidade na transição energética, e foi tomada depois de rigorosas análises e estudos de viabilidade, que concluíram que não é possível para a empresa prosseguir com a construção do Windpeshi", afirma o diretor da Enel Green Power na Colômbia e América Central, Eugenio Calderon.

Atualmente, a empresa está atuando na Colômbia com investimentos para cerca de 800 MW em energia renovável não convencional nos estados de Cesar, Magdalena e Atlantico.

"O nosso compromisso para a transição energética, e a agenda do atual governo que dá prioridade à energia limpa, permanece firme e avança decididamente", ressaltou ainda Calderon.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use