Dono do Napoli é interrogado sobre compra de Osimhen

De Laurentiis é acusado pelas autoridades de fraude contábil

Procuradoria da capital italiana colocou o dirigente em sua mira por uma suposta fraude contábil relacionada à chegada do jogador nigeriano (foto: ANSA)
Procuradoria da capital italiana colocou o dirigente em sua mira por uma suposta fraude contábil relacionada à chegada do jogador nigeriano (foto: ANSA)

(ANSA) - O presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis, marcou presença nesta quarta-feira (3) no Ministério Público de Roma para esclarecer suas ações em relação ao caso envolvendo a compra do atacante Victor Osimhen.

A Procuradoria da capital italiana colocou o dirigente em sua mira por uma suposta fraude contábil relacionada à chegada do jogador nigeriano, em 2020. A operação foi concretizada por aproximadamente 70 milhões de euros.

Os promotores averiguam se os azzurri alteraram os preços da transferência junto ao Lille, da França, nas demonstrações financeiras que abrangeram os meses de julho de 2020 a junho de 2021.

Acompanhado pelo seu advogado Fabio Fulgeri, De Laurentiis permaneceu mais de uma hora e meia respondendo as perguntas feitas pelo procurador-adjunto Giuseppe Cascini.

Revelado pelo Wolfsburg, Osimhen chegou ao Napoli após se destacar pelo Lille na temporada 2019/20. Ao lado do georgiano Khvicha Kvaratskhelia, o nigeriano foi peça importante na trajetória do time campano que culminou no histórico e aguardado terceiro Scudetto.

Ao mesmo tempo que é alvo dessa investigação do MP de Roma, De Laurentiis sofre uma grande pressão no comando do Napoli, com os torcedores pedindo sua saída pelas recentes decisões questionáveis.

Fazendo uma campanha abaixo do esperado, o atual campeão italiano ocupa a modesta oitava colocação, com 45 pontos, e corre sérios riscos de não disputar nenhuma competição continental em 2024/25. (ANSA).