/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Moraes autoriza inquérito para investigar Bolsonaro por atos golpistas

Ex-presidente deve ser incluído em inquérito sobre instigadores

SÃO PAULO, 14 janeiro 2023, 14:28

Redação ANSA

ANSACheck

Bolsonaro é apontado como um dos 'instigadores e autores intelectuais ' dos atos golpistas - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou nesta sexta-feira (13) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que investigue o ex-presidente Jair Bolsonaro no âmbito do inquérito que apura os atos golpistas feitos por apoiadores dele no último dia 8 de janeiro. Horas depois, o ministro Alexandre de Moraes autorizou a ação.

O ex-mandatário entraria na investigação sobre os "instigadores e autores intelectuais" da invasão dos prédios federais na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Esse inquérito foi autorizado pela presidente do STF, Rosa Weber.

A inclusão de Bolsonaro é justificada por conta de um vídeo com notícias falsas republicado pelo político em suas redes sociais, que dizia que o atual presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, foi "escolhido pelo STF".

"Assinada por membros do Ministério Público Federal, a representação sugere que, ao postar vídeo no dia 10 de janeiro questionando a regularidade das eleições presidenciais de 2022, Bolsonaro teria feito incitação pública à prática de crime (art. 286 do Código Penal). A postagem foi apagada após a veiculação, no dia 11 de janeiro", diz a nota divulgada pela PGR.

O subprocurador-geral da República, Carlos Frederico Santos, que coordena o Grupo Estratégico de Combate aos Atos Antidemocráticos, afirma ainda que "não se nega a existência de conexão probatória entre os fatos contidos na representação e o objeto deste inquérito, mais amplo em extensão".

"Por tal motivo, justifica-se a apuração global dos atos praticados antes e depois de 8 de janeiro de 2023 pelo representado", diz o documento, que ainda pede que a Meta, dona do Facebook, preserve o "vídeo postado e apagado no perfil do ex-presidente".

Ao todo, sete inquéritos foram requeridos ao STF para investigar os atos golpistas do dia 8 de janeiro.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use