/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália apoia esforços para fortalecer Somália, diz Meloni

Prmeiê italiana deu declaração na Etiópia

ROMA, 15 abril 2023, 15:52

Redação ANSA

ANSACheck

Migranti: corteo barche sul luogo strage 3 ottobre 2013 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, disse neste sábado (15), durante sua visita a Adis Abeba, que seu governo apoia os esforços para fortalecer a Somália.

A declaração foi dada após uma reunião trilateral com o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, e o presidente da Somália, Hassan Sheikh Mohamud.

"A Somália sempre encontrará na Itália um parceiro privilegiado e sólido no apoio aos esforços para fortalecer as instituições somalis e a estabilidade de todo o Chifre da África", escreveu Meloni no Twitter.

Além disso, a premiê italiana reiterou a linha do governo sobre as alterações ao decreto migratório e reforçou que pretende eliminar a proteção especial para requerentes de asilo por ser considerada um fator de atração para os imigrantes que chegam à Itália.

"Meu objetivo é a eliminação da proteção especial, porque é uma proteção a mais em relação ao que acontece com o resto da Europa. É complexo e é normal que existam várias alterações", acrescentou.

A medida, fortemente apoiada pelo partido de direita Liga, será incluída em uma emenda ao decreto de emergência do governo para imigrantes aprovado após o naufrágio de 26 de fevereiro em Cutro, na Calábria, que matou pelo menos 93 imigrantes.

Durante coletiva de imprensa, Meloni ressaltou acreditar que pode "contribuir muito para o desenvolvimento, a segurança e a estabilidade das nações africanas".

Ela reforçou que "há um grande desejo pela Itália, há uma grande atenção para a nossa capacidade de cooperação não predatória, deixar alguma coisa aqui".

"Queremos trabalhar em infraestrutura, agricultura, turismo. O que essas nações nos pedem é também que sejamos promotores, porta-vozes em organismos internacionais, a UE, o G20, o G7, seus pedidos, suas necessidades e acredito que a Itália pode desempenhar muito bem esse papel", afirmou.

Por fim, Meloni garantiu que a Itália cumprirá o prazo de agosto para atualizar o Plano Nacional de Recuperação e Resiliência (PNRR) pós-Covid, financiado pela UE.

Logo depois, antes de finalizar sua missão na Etiópia, Meloni visitou o instituto Galileu Galilei na capital etíope, a maior escola italiana no exterior com cerca de 900 alunos.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use