/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Meloni recebe Zelensky e promete manter apoio à Ucrânia

ROMA, 14 maio 2023, 10:33

Redação ANSA

ANSACheck

Meeting of Italian Prime Minister Giorgia Meloni with Ukraine 's President Volodymyr Zelensky at Chigi Palace - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, se reuniu neste sábado (13), em Roma, com a primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, e ouviu a promessa de que o apoio militar continuará até que Kiev obtenha uma paz justa.

Essa é a primeira visita de Zelensky à Itália desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro de 2022, e também inclui um aguardado encontro com o papa Francisco no Vaticano.

Em coletiva de imprensa após a reunião, Meloni garantiu que aposta "na vitória da Ucrânia" e assegurou apoio a Kiev contra Moscou. "Continuaremos a fornecer suporte, inclusive militar, para que a Ucrânia possa chegar às negociações com uma posição sólida", disse a premiê, acrescentando que a paz não pode ser uma "rendição".

"Só se chegará na paz quando a Rússia cessar as hostilidades. Apoiamos a fórmula de paz em 10 pontos do presidente Zelensky e reconhecemos as legítimas aspirações europeias da Ucrânia", declarou a primeira-ministra.

Segundo Meloni, o futuro da Ucrânia "é de paz e liberdade e é um futuro europeu, não existem outras soluções". "Não somos hipócritas de chamar de paz qualquer coisa que se assemelhe a uma invasão. Não a uma paz injusta e imposta à Ucrânia. Qualquer acordo terá de ser apoiado pelo povo ucraniano", ressaltou a premiê, que ainda disse ter uma "amizade pessoal" com Zelensky.

Meloni esteve em Kiev em fevereiro passado, e a Itália sediou uma conferência para a reconstrução da Ucrânia no fim de abril.

"Giorgia, agradeço pela possibilidade de estar neste belíssimo país, com uma grande história. Estou aqui para apertar sua mão e agradecer por ter dado refúgio a cidadãos ucranianos. Jamais esquecerei disso", afirmou o presidente.

Na coletiva de imprensa, Zelensky denunciou o sequestro de 200 mil crianças ucranianas pela Rússia e disse que as Forças Armadas derrubaram 17 drones iranianos em apenas sete horas neste sábado. "Essa é a agressão russa", salientou.

O mandatário ainda convidou "todos os líderes políticos italianos e representantes da sociedade civil" a visitar a Ucrânia para ver "o que Putin fez". "Aí vocês entenderão por que nos opomos a esse mal", acrescentou.

Durante a manhã, Zelensky já havia se reunido com o presidente da Itália, Sergio Mattarella, que também garantiu apoio incondicional à Ucrânia na guerra. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use