/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália recorda 43º aniversário do desastre aéreo de Ustica

Queda de aeronave na Sicília provocou a morte de 81 pessoas

BOLONHA, 27 junho 2023, 14:09

Redação ANSA

ANSACheck

Ainda hoje não se sabe a exata origem do suposto míssil que teria derrubado a aeronave - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A Itália celebrou nesta terça-feira (27) os 43 anos do "Desastre de Ustica", que foi a queda de um avião da companhia aérea Itavia na região da Sicília que matou todas as 81 pessoas a bordo.

As homenagens se concentraram principalmente em Bolonha, cidade de onde a aeronave DC9 partiu no dia da tragédia no mar Tirreno. O avião tinha Palermo como destino final.

Matteo Lepore, prefeito de Bolonha, recebeu hoje os parentes das vítimas do acidente aéreo. O município também organizou apresentações teatrais e concertos de música clássica em homenagem aos mortos.

Em sua recordação sobre a tragédia, o presidente da Itália, Sergio Mattarella, afirmou que a queda do avião foi um dos episódios "mais dolorosos e sombrios da história recente" do país.

"Uma verdade completa nunca foi plenamente alcançada e isso ainda representa uma ferida para os cidadãos. Os resultados obtidos nos encorajam a não desistir de buscar as peças que faltam", afirmou o mandatário.

O governador da região da Emilia-Romagna, Stefano Bonaccini, declarou que a "dor dos familiares não se esvai", além de pedir uma "última verdade" sobre os "perpetradores e responsáveis materiais" do acidente.

Em 2013, a Corte de Cassação da Itália considerou "consagrada" a tese de que um míssil foi o responsável pela queda da aeronave, quando ela sobrevoava a cidade de Ustica.

Já no ano de 2007, o ex-presidente italiano Francesco Cossiga chegou a afirmar que o DC9 tinha sido alvo de foguetes internacionais que tentavam atingir um avião do então ditador da Líbia, Muammar Kadafi.

No entanto, ainda hoje não se sabe a exata origem do suposto míssil.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use