/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália estuda tirar habilitação de quem abandonar animais

Medida pode entrar em projeto de lei sobre segurança viária

ROMA, 20 julho 2023, 11:53

Redação ANSA

ANSACheck

Ministro quer endurecer regras contra abandono de animais domésticos - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O governo da Itália vai apresentar uma proposta para revogar a carteira de habilitação de pessoas que abandonarem animais domésticos em ruas e estradas.

Em audiência no Senado, o ministro da Infraestrutura e dos Transportes e vice-premiê do país, Matteo Salvini, disse que vai propor o endurecimento das sanções em um projeto de lei sobre segurança viária que chegará ao Parlamento em breve.

"Chegando até a revogação ou a suspensão da habilitação, porque além de ser um ato de absoluta barbárie, arrisca comprometer a segurança de quem viaja", afirmou Salvini a seus colegas senadores.

Como o governo da premiê Giorgia Meloni possui maioria confortável no Parlamento, a proposta não deve ter dificuldades para ser aprovada, embora ainda não haja um prazo para a votação. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use