/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Itália focará em Ucrânia e África durante presidência do G7

Declaração foi dada por Meloni em coletiva nos EUA

WASHINGTON, 27 julho 2023, 20:24

Redação ANSA

ANSACheck

Ukrainian activists protest in front of UN headquarters in Brussels © ANSA/EPA

(ANSA) - A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, disse nesta quinta-feira (27) que a reconstrução da Ucrânia e a relação com a África serão "temas centrais" durante sua gestão na presidência do G7.

A declaração foi dada pela italiana durante coletiva de imprensa na sede da Embaixada da Itália em Washington, após encontro com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na Casa Branca.

"A reconstrução da Ucrânia e a relação com a África serão centrais para a presidência do G7. A Europa e o Ocidente não deram peso suficiente à África no passado", declarou ela, lembrando que a África não é um continente pobre, mas rico".

Para Meloni, "é um erro fatal" na política externa "não ver todo o tabuleiro de xadrez", e Biden está disponível para colaborar com a Itália no Plano Mattei para a África.

"Discutimos com Biden a próxima presidência italiana do G7. Há uma grande expectativa e um grande apoio dos EUA", acrescentou.

A premiê italiana explicou ainda que "a postura da Itália no conflito ucraniano é extremamente respeitada, considerada pelos Estados Unidos que estão cientes dos sacrifícios e esforços que os italianos estão fazendo e acreditam que as responsabilidades e consequências são compartilhadas".

Biden e Meloni reforçaram o apoio à Ucrânia que "se defende contra a agressão ilegal da Rússia". Desta forma, a Casa Branca informou que "os Estados Unidos e a Itália continuarão a fornecer assistência política, militar, financeira e humanitária à Ucrânia pelo tempo que for necessário, com o objetivo de alcançar uma paz duradoura e justa".

Por fim, os dois líderes condenaram "a retirada unilateral da Rússia" do acordo sobre os grãos ucranianos, "reconhecendo a necessidade de enfrentar as consequências globais do conflito, sobretudo para a estabilidade e segurança alimentar dos países mais vulneráveis".

China e Tunísia 

Durante a coletiva, Meloni anunciou que uma de suas próximas missões será na China, mas ainda não está marcada porque precisa tratar questões de política interna.

Por sua vez, a Casa Branca garantiu que os Estados Unidos e a Itália "reafirmam a importância vital de manter a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan" e "estão comprometidos em fortalecer as consultas bilaterais e multilaterais sobre as oportunidades e desafios colocados pela China".

Além disso, Meloni relatou que a "a posição de Biden em relação à Tunísia é "muito mais aberta do que esperava, é uma posição pragmática".

"O tema da relação entre a Tunísia e o FMI é mais a dificuldade de encontro entre as partes, mas encontrei apoio e atenção do presidente americano para as nossas iniciativas", concluiu ela. 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use