Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Uruguai é uma nova fronteira para investimentos italianos

Embaixador destacou oportunidades da energia à agricultura

SÃO PAULO, 28 julho 2023, 09:28

Redação ANSA

ANSACheck

Embaixador italiano no Uruguai deu entrevista à ANSA - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O embaixador da Itália em Montevidéu, Giovanni Battista Iannuzzi, está convencido de que o "Uruguai é uma nova fronteira para investimentos".

Em entrevista à ANSA, o diplomata destaca os pontos fortes deste canto da América do Sul, caracterizado por "uma forte estabilidade política, um PIB crescente, interessante e um baixo nível de corrupção".

Um país com forte vocação agrícola, mas também "excelência em software e produtos high-tech", com interessantes oportunidades de investimento para a Itália nos setores energético e florestal.

"Em particular, existe um ambicioso plano de fontes alternativas (sobretudo eólica, biomassa e hidrogênio verde), que deve garantir a plena autossuficiência no Uruguai, onde atualmente 97% da eletricidade provém de fontes renováveis", explica o embaixador.

Mas também "a viticultura representa uma oportunidade para nossas empresas, que poderiam se beneficiar de tarifas reduzidas no Mercosul e em outros países da América Latina, ganhando uma posição vantajosa em relação às exportações da Europa", observa Iannuzzi.

O setor de vinho é acompanhado pelo da transformação do leite, dos iogurtes aos queijos, setor no qual, no momento, na ausência total dos italianos, prosperam os franceses da Lactalis e da Danone.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx