'Violência contra mulher é barbárie', diz presidente da Itália

Mattarella destacou a necessidade de ações concretas e rigorosas

A Itália registrou quase 80 feminicídios em 2023 (foto: ANSA)
A Itália registrou quase 80 feminicídios em 2023 (foto: ANSA)

(ANSA) - O presidente da Itália, Sergio Mattarella, afirmou nesta sexta-feira (8) que a violência contra as mulheres é uma "forma inaceitável de barbárie social".

O mandatário ainda destacou a necessidade de prevenção constante e concreta para evitar que novas mulheres sejam vítimas de assédio e violência física ou moral.

"A violência contra as mulheres continuou se manifestando na Itália nos últimos meses, com numerosos casos de homicídio e violência. Essa forma inaceitável de barbárie social exige uma ação mais consciente, de prevenção rigorosa, concreta e constante", disse Mattarella ao jornal Corriere della Sera por ocasião do festival Tempo delle Donne.

A Itália registrou quase 80 feminicídios em 2023, bem como casos de estupros coletivos que tiveram grande repercussão no país, principalmente os ocorridos em Palermo e Caivano.

Elly Schlein, líder do centro-esquerdista Partido Democrático (PD), comentou recentemente que renovou seu apelo à primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, para trabalhar em conjunto na questão.

"Fiz um apelo a Meloni sobre a questão do combate à violência de gênero. Vamos deixar de lado a habitual dialética amarga entre a maioria e a oposição, vamos tentar trabalhar juntos não só na repressão, mas também no investimento na educação. Se não agirmos imediatamente, temo que chegaremos sempre tarde demais", afirmou. (ANSA).