Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Tajani faz discurso pró-Ucrânia no Conselho de Segurança da ONU

'Itália está e estará com ucranianos', disse o chanceler

NOVA YORK, 20 setembro 2023, 18:53

Redação ANSA

ANSACheck

Tajani falou no Conselho de Segurança da ONU - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Em discurso no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), o vice-premiê e ministro de Relações Exteriores da Itália, Antonio Tajani, reforçou novamente o apoio do país à Ucrânia no conflito com a Rússia.

"A posição do governo italiano guiado pela primeira-ministra Giorgia Meloni sobre a agressão russa à Ucrânia é clara e muito conhecida. Estamos ao lado da Ucrânia, um povo invadido que luta para defender a própria liberdade e soberania", disse.

"Queremos uma paz justa para a Ucrânia. Paz justa significa liberdade para a Ucrânia. Volodymyr Zelensky e o povo ucraniano sabem que a Itália está com eles e estará com eles. Por eles, e pela própria Itália", acrescentou.

Para Tajani, soberania e integridade territorial são os motivos: "Devemos tutelar duas principais essências da Carta das Nações Unidas: soberania e integridade territorial, bem refletidas também na posição do G7 e na recente declaração final dos líderes do G20 em Nova Délhi".

"Todos sofremos a consequência dessa guerra que como um efeito dominó atingiu nossas sociedades: crise energética, aumento dos preços das matérias primas, inflação, refugiados.

Uma crescente pressão migratória da África, especialmente para a Itália, agravada pela crise alimentar causada pelo bloqueio dos grãos por parte da Rússia", lamentou.

"A comunidade internacional não se rendeu diante dessas dificuldades, apesar do cansaço de nossas opiniões públicas.

Apoiamos a iniciativa do Vaticano de trocar prisioneiros e consentir às crianças ucranianas o reencontro com suas famílias", indicou Tajani como uma das prioridades do governo italiano, junto com a segurança da central nuclear de Zaporizhzhia e a retomada do acordo de grãos.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx