/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Peronismo se impõe como principal força no Congresso argentino

No entanto, coalizão de Milei se tornou terceira maior bancada

BUENOS AIRES, 23 outubro 2023, 09:26

Redação ANSA

ANSACheck

Cristina Kirchner vota em colégio eleitoral na província de Santa Cruz, sul da Argentina © ANSA/EPA

(ANSA) - Além do surpreendente resultado obtido pelo presidenciável Sergio Massa no primeiro turno, o peronismo se impôs novamente como principal força no Congresso da Argentina.

As eleições do último domingo (22) também renovaram 130 das 257 cadeiras da Câmara dos Deputados e 24 dos 72 assentos do Senado, e a coalizão governista União pela Pátria (UxP), de centro-esquerda, seguirá com a maior bancada.

A aliança peronista, que conta hoje com 118 deputados, terá 107 na próxima legislatura, mas aumentou o número de senadores de 31 para 34, segundo o jornal Clarín.

A coalizão de direita Juntos pela Mudança (JxC), de Patricia Bullrich e Mauricio Macri, manteve apenas 24 de seus 33 assentos no Senado e 94 de suas 117 cadeiras na Câmara.

Por sua vez, a aliança A Liberdade Avança (LLA), do ultraliberal Javier Milei, aumentou suas bancadas na Câmara de três para 39 deputados e no Senado de zero para oito, tornando-se a terceira força no parlamento argentino.

O segundo turno das eleições para presidente será disputado por Massa e Milei em 19 de novembro. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use