/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Venezuela e Guiana se comprometem a não usar força em Essequibo

Países farão nova reunião em três meses, desta vez no Brasil

CARACAS, 15 dezembro 2023, 08:39

Redação ANSA

ANSACheck

Os presidentes da Guiana, Irfaan Ali, e da Venezuela, Nicolás Maduro, em encontro em São Vicente e Granadinas © ANSA/EPA

(ANSA) - Os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Guiana, Irfaan Ali, concordaram em não utilizar ameaças ou a força na disputa por Essequibo, região guianense rica em petróleo e recursos minerais.

Os mandatários se encontraram cara a cara pela primeira vez, em meio às tensões provocadas pelo referendo de anexação de Essequibo promovido pelo regime venezuelano no início de dezembro.

Em reunião em São Vicente e Granadinas, presidente pro tempore da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), Maduro e Ali apertaram as mãos diante de jornalistas e fotógrafos e concordaram em criar uma comissão para manter um diálogo constante sobre a disputa.

Segundo uma declaração conjunta, Venezuela e Guiana concordaram que "não ameaçarão nem usarão a força um contra o outro em nenhuma circunstância" e se comprometeram a "resolver qualquer controvérsia entre os dois Estados em conformidade com o direito internacional".

Além disso, Maduro e Ali aceitaram se reunir novamente nos próximos três meses, desta vez no Brasil, que mediou o impasse, para "examinar qualquer questão relativa ao território em disputa".

Após o encontro, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, conversou com o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, para agradecer ao Brasil pela "liderança diplomática ao buscar uma solução pacífica" para a crise de Essequibo. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use