/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Salvini cogita candidatar general 'antigay' em eleições na UE

Roberto Vannacci ganhou fama com livro controverso

ROMA, 09 janeiro 2024, 13:44

Redação ANSA

ANSACheck

General Roberto Vannacci é autor do livro 'O mundo ao contrário ' - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O ministro da Infraestrutura e vice-premiê da Itália, Matteo Salvini, cogita candidatar o general Roberto Vannacci, que ganhou notoriedade com a publicação de um livro com teorias homofóbicas e racistas, nas próximas eleições para o Parlamento da União Europeia, entre 6 e 9 de junho.

Em entrevista a uma rádio local, Salvini, que lidera o partido de direita Liga, afirmou que o militar é um "general de máximo nível". "Se ele estiver interessado, e como teremos candidatos sem carteirinha de partido e com uma visão clara de Europa, seria um fato positivo se ele aceitasse", disse o vice-premiê.

Vannacci ganhou fama na Itália após a publicação de um livro no qual escreve que os homossexuais "não são normais" e denuncia um suposto "lobby gay internacional" para normalizar as relações entre pessoas do mesmo sexo.

Além disso, afirma que os "traços físicos" de Paola Egonu, célebre jogadora de vôlei negra, "não representam a italianidade", apesar de ela ser italiana.

A obra foi lançada por meio da ferramenta de autopublicação da Amazon e logo se tornou best-seller no país, apesar das inúmeras críticas contra o general.

O militar chegou a ser afastado pelas Forças Armadas e é alvo de um inquérito para apurar possíveis infrações disciplinares. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use