Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

STF manda investigar Transparência Internacional por Lava Jato

SÃO PAULO, 05 fevereiro 2024, 14:49

Redação ANSA

ANSACheck

Decisão foi tomada por Dias Toffoli © ANSA/EPA

(ANSA) - O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta segunda-feira (5) a abertura de uma investigação sobre a atuação da ONG Transparência Internacional no Brasil.

Na decisão, ele diz ser "duvidosa" a criação de uma fundação privada para administrar recursos derivados de pagamento de multa às autoridades brasileiras.

Em sua petição, Toffoli pediu para a Procuradoria-Geral da República (PGR) encaminhar documentos e cópias de procedimentos internos sobre o cumprimento de tratativas internacionais pela Lava Jato.

O ministro cita uma notícia-crime apresentada pelo deputado Rui Falcão (PT-SP), no qual é relatado que desde 2014 o Ministério Público Federal atua em parceria com a Transparência Internacional para desenvolver ações "genericamente apontadas como 'combate à corrupção'".

Segundo o documento, a ONG teria recebido parte do valor obtido no acordo de leniência da J&F em 2018 e, a partir daí, passou a administrar e aplicar os recursos. No entanto, a organização disse à imprensa que não recebeu nada de nenhum acordo de leniência no Brasil.

Toffoli cita a Transparência Internacional como uma entidade "alienígena com sede em Berlim" responsável por receber recursos que deveriam ser entregues ao Tesouro Nacional.

O Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria-Geral da União (CGU) também deverão participar da investigação.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx