Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Boric faz 'mea culpa' ao discursar em funeral de Sebastián Piñera

Papa Francisco também lamentou 'morte trágica' do político

SANTIAGO DO CHILE, 09 fevereiro 2024, 12:51

Redação ANSA

ANSACheck

Funeral de Estado de Sebastián Piñera © ANSA/EPA

(ANSA) - Em um discurso nesta sexta-feira (9) durante o funeral de Estado do ex-presidente do Chile Sebástian Piñera, seu sucessor, o atual presidente Gabriel Boric, fez uma sentida autocrítica a respeito das relações entre os dois políticos.

“Durante seu governo, nossas críticas e acusações foram, algumas vezes, além do razoável. Estar na presidência me permitiu compreender não só a sua figura, mas a de todos os meus predecessores”, afirmou.

“Foi um homem que sempre quis bem ao Chile como prioridade, e que nunca se deixou levar pelo fanatismo ou pelo rancor. Todos nós que fazemos política deveríamos ter em conta essas virtudes”, concluiu.

Boric, de esquerda, foi um dos opositores mais acirrados do governo de centro-direita de Piñera, responsabilizando-o por violações de direitos humanos e por excessos cometidos pela polícia e pelo Exército na repressão a protestos em 2019.

Ainda assim, mesmo no Brasil, a forma ordenada e estadista como foi conduzida a transição entre os dois governos chamou a atenção do noticiário.

Também nesta sexta, o papa Francisco expressou seu pesar pela “trágica morte” de Piñera, vítima aos 74 anos da queda do helicóptero que pilotava.

Em um telegrama assinado pelo cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin, enviado a Boric, Francisco reza pelo descanso eterno do ex-chefe, que guiou o país por dois mandatos, “com a lembrança viva deste homem de fé que mostrou grandes dotes de intelecto e sincera paixão pela vida política chilena”.

O pontífice manifestou condolências à família e a todos que sofrem a partida.

 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx