Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Câmara dá aval definitivo a CPI da Covid na Itália

Iniciativa é promovida pelo governo Meloni contra oposição

ROMA, 15 fevereiro 2024, 13:27

Redação ANSA

ANSACheck

Giuseppe Conte deve ser um dos principais alvos da CPI da Covid na Itália - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A Câmara dos Deputados da Itália aprovou de forma definitiva um projeto de lei que institui uma comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão da pandemia de Covid-19 no país.

A votação, encerrada com placar de 132 a 86 em favor da CPI, terminou em tumulto devido ao discurso da deputada governista Alice Buonguerrieri, do partido de direita Irmãos da Itália (FdI), o mesmo da premiê Giorgia Meloni.

Em seu pronunciamento, o último antes da contagem dos votos, a parlamentar disse que Giuseppe Conte, do populista Movimento 5 Estrelas (M5S), e Roberto Speranza, do centro-esquerdista Partido Democrático (PD), foram, respectivamente, os "piores" premiê e ministro da Saúde da história italiana.

Em meio a gritos de "vergonha" nas bancadas de oposição, Buonguerrieri manteve o tom e disse que Conte e Speranza foram "condenados" pela gestão da pandemia, o que de fato não aconteceu.

As declarações geraram gritaria e empurra-empurra no plenário da Câmara, forçando a mesa diretora a suspender a sessão durante vários minutos.

Conte, premiê entre junho de 2018 e fevereiro de 2021, e Speranza, ministro da Saúde entre setembro de 2019 e outubro de 2022, foram alvos de um inquérito sobre possíveis omissões no início da pandemia, mas a Justiça decidiu arquivar o caso.

"Nenhum tribunal teve nada a dizer sobre o trabalho do governo", disse Conte, que acusou a base aliada de Meloni de "covardia". "Vocês só sabem dizer mentiras", acrescentou.

Speranza, por sua vez, afirmou que o discurso de Buonguerrieri remeteu "ao pior momento atravessado por este país", em referência à era fascista, e que o objetivo da CPI é "fazer propaganda política e campanha eleitoral, nada mais".

O M5S e o PD também reclamam do fato de a comissão excluir os governos regionais, muitos deles comandados pela coalizão de direita que dá sustentação a Meloni, principalmente o da Lombardia, epicentro da pandemia na Itália.

O Parlamento é controlado atualmente pela base aliada da premiê, que passou todo o período mais grave da crise sanitária na oposição. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx