Receita médica digital vira definitiva na Itália

Em caso de doença crônica, documento vale por 1 ano

Pacientes não precisarão mais retornar ao médico para pegar receitas (foto: ANSA)
Pacientes não precisarão mais retornar ao médico para pegar receitas (foto: ANSA)

(ANSA) - O ministro da Saúde da Itália, Orazio Schillaci, afirmou que o governo italiano aprovou, durante o Conselho de Ministros (CdM) desta quinta-feira (11), que as receitas médicas no país serão digitais.

"Nós tornamos estrutural a receita eletrônica, algo que foi muito apreciado pelos cidadãos e pelos médicos. Nós consideramos correto por fim ao período de testes e as prorrogações para simplificar o trabalho dos médicos de família e a vida dos cidadãos que não precisarão ir até os consultórios médicos. Agora, eles poderão receber as receitas por e-mail ou outros canais no próprio celular", disse o titular da pasta.

No caso de pacientes crônicos, a receita digital será válida por um ano e permitirá a aquisição dos medicamentos a cada 30 dias do tratamento, sempre com base nas indicações dadas pelo médico responsável.

"Um doente crônico tem a necessidade periódica de tomar o mesmo remédio e, graças a essa norma, os pacientes ou quem cuida deles em caso de não autossuficiência têm a dupla vantagem de não precisar ir ao médico repetidamente para retirar a receita nem ir repetidamente à farmácia para retirar os medicamentos. É evidente a simplificação dessa medida", finalizou. (ANSA).