/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Agressão a trans brasileira vira briga política na Itália

Fato ocorrido em Milão viralizou nas redes sociais

MILÃO, 24 maio 2023, 13:42

Redação ANSA

ANSACheck

Episódio aconteceu em Milão e foi gravado por estudantes universitários - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - A agressão sofrida por uma transexual brasileira em Milão durante uma abordagem policial virou tema de disputa política na Itália nesta quarta-feira (24).

Nas imagens, gravadas por estudantes da Universidade Bocconi, os agentes a agridem com chutes e cassetetes, além de usar spray de pimenta no rosto dela enquanto estava caída no chão.

A deputada e secretária metropolitana do Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, Silvia Roggiani, chamou as cenas de "horríveis e intoleráveis" e disse que "nada do que possa ter acontecido antes justifica a violência sobre uma pessoa que, pelas imagens, estava inerte".

 "A cidade já se mexeu e o prefeito Giuseppe Sala já condenou. Estamos certos de que seja o Palazzo Marino seja a Polícia Local, como já anunciaram, atuarão de maneira intransigente para dar luz ao fato", acrescentou.

O governista Irmãos da Itália (FdI), da premiê Giorgia Meloni, expressou "plena solidariedade" aos policiais.
 

"Eles fizeram o dever, evitando que aquela pessoa pudesse dar seguimento as ameaças contra crianças de uma escola milanesa. Uma trans brasileira que estava evidentemente fora de si", acrescentou o deputado e coordenador do FdI de Milão, Stefano Maullu.

Depois que as imagens viralizaram, o presidente do Sindicato Unitário dos Policiais Locais (SULPL), Daniele Vincini, se manifestou dizendo que os policiais foram chamados porque a brasileira estaria supostamente importunando algumas crianças e que tentou agredir os agentes.

Uma investigação sobre o caso já foi aberta pelo Ministério Público da cidade.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use