/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Corpo de grávida assassinada pelo noivo é sepultado na Itália

Caso chocou o país pela crueldade do crime

SANT'ANTIMO, 11 junho 2023, 14:22

Redação ANSA

ANSACheck

Cerimônia foi marcada por homenagens e tristeza - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O corpo de Giulia Tramontano, uma jovem de 29 anos grávida de sete meses assassinada pelo próprio noivo em Senago, na Lombardia, foi sepultado neste domingo (11), no sul da Itália, sob aplausos e homenagens.

Antes de chegar ao cemitério de Sant'Antimo, na província de Nápoles, o caixão foi levado em procissão até a casa onde a italiana morava antes de se mudar para a região norte do país.

Em frente ao prédio onde reside a família Tramontano, muitas pessoas se aglomeraram para se despedir da vítima.

Um pequeno altar em um banco foi montado no local com ramos de flores e algumas velas. A mãe de Giulia sussurrou "obrigada" e vários balões brancos foram lançados ao céu sob um longo aplauso.

"O amor dá e não tira. Protege e não mata", diz um dos diversos cartazes colocados em frente à igreja de Santa Lúcia. Em outro, foi escrito o nome do bebê que estava na barriga da jovem: Thiago.

Giulia foi morta a facadas pelo próprio noivo, Alessandro Impagnatiello, de 30 anos, que confessou ter assassinado a companheira ao final de uma discussão, iniciada após a jovem ter descoberto que seu parceiro mantinha um relacionamento extraconjugal com uma colega de trabalho.

Depois de ter matado ela, o italiano tentou queimar duas vezes o corpo de Tramontano na banheira de casa, mas sem sucesso. Não satisfeito, ele transportou e escondeu o corpo em um terreno baldio.

Impagnatiello está preso em San Vittore e foi acusado de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e aborto sem consentimento. Ele confessou o crime várias vezes de forma lúcida e fria.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use