Autor de ataque em reunião de condomínio na Itália será julgado em 2024

Massacre em reunião ocorreu em dezembro do ano passado

Claudio Campiti invadiu reunião de condomínio em dezembro de 2022 (foto: ANSA)
Claudio Campiti invadiu reunião de condomínio em dezembro de 2022 (foto: ANSA)

(ANSA) - O italiano que abriu fogo durante uma reunião de condomínio em Roma em dezembro passado e matou quatro mulheres irá a julgamento no dia 5 de fevereiro de 2024.

A audiência ocorrerá no primeiro Tribunal de Justiça da capital da Itália, segundo decisão tomada por um juiz nesta segunda-feira (27).

O réu Claudio Campiti é acusado pelo promotor Giovanni Musarò de homicídio agravado por premeditação e motivos fúteis, tentativa de homicídio de outras cinco pessoas sentadas à mesa do conselho de administração e de lesões corporais resultantes do trauma psicológico sofrido pelos sobreviventes.

A tragédia ocorreu no dia 11 de dezembro de 2022, durante reunião de um condomínio no bairro Fidene. Na ocasião, Campiti invadiu o espaço onde acontecia a reunião, sacou sua arma e disparou contra os presentes, após dizer que mataria todas as pessoas.

O encontro tratava da gestão de um consórcio imobiliário no bairro Nuovo Salario, em Roma. A disputa teria surgido de antigos conflitos entre os condôminos. Outras quatro pessoas ficaram feridas na ofensiva.

Logo após o ataque, Campiti foi preso e levado a uma delegacia em Tor di Quinto, onde entregou uma arma semiautomática Glock para os agentes.

De acordo com conhecidos, Campiti virou uma pessoa completamente diferente após a morte de um filho de 14 anos, ocorrida em 2012, em uma pista de esqui italiana. Três pessoas foram condenadas pelo falecimento do jovem e uma indenização foi paga, mas os vizinhos afirmam que ele se tornou mais introspectivo desde então. (ANSA).