/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Hamas divulga novo vídeo de reféns israelenses

Gravação mostra 2 mulheres de 19 anos e outra de 30

TEL AVIV, 26 janeiro 2024, 13:49

Redação ANSA

ANSACheck

Manifestação em Tel Aviv cobra libertação de reféns israelenses pelo Hamas © ANSA/EPA

(ANSA) - O grupo fundamentalista islâmico Hamas divulgou um novo vídeo que mostra três mulheres israelenses mantidas como reféns na Faixa de Gaza.

A gravação foi veiculada no Telegram no mesmo dia em que a Corte Internacional de Justiça (CIJ) rejeitou o arquivamento de uma ação contra Israel por genocídio e pediu a imediata libertação das pessoas sequestradas pela facção palestina em 7 de outubro.

O vídeo é intitulado "O tempo está acabando" e mostra uma ampulheta que se esvazia. As três mulheres se expressam em hebraico e, provavelmente sob coação do Hamas, acusam o Estado israelense de tê-las "abandonado".

Além disso, fazem um apelo para que o premiê Benjamin Netanyahu coloque fim à guerra e as leve de volta para suas famílias, "antes que se tornem outros cadáveres".

"Estamos constantemente sob fogo. Quase me mataram com seus bombardeios", afirma Karina, militar de 19 anos que diz ter sido sequestrada no Kibbutz Nahal Oz. As outras duas reféns são Danielle, soldado de 19 anos, e Doron, 30.

"Primeiro vocês nos expuseram ao perigo, depois nos abandonaram. Queremos voltar para casa agora", exclamam as três mulheres no vídeo, que não foi exibido em Israel, uma vez que a imprensa local decidiu não propagar o "terrorismo psicológico" do Hamas.

Estima-se que mais de 100 pessoas ainda sejam mantidas como reféns pela facção palestina, que exige um cessar-fogo definitivo para libertar os sequestrados. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use