Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Aos 86 anos, filho do último rei da Itália morre em Genebra

Segundo nota, local e data do funeral serão comunicados em breve

ROMA, 03 fevereiro 2024, 15:31

Redação ANSA

ANSACheck

Filho do último rei morreu antes de completar 87 anos - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Vittorio Emanuele di Saboia, filho de Umberto II, último rei da Itália, morreu neste sábado (3) em Genebra, onde a sua família se exilou no pós-guerra, aos 86 anos, anunciou um comunicado emitido pela antiga casa real de Saboia.

"Às 7h05 desta manhã (horário local), Sua Alteza Real Vittorio Emanuele faleceu pacificamente, rodeado pela sua família", diz a nota da casa real.

Segundo o texto, o local e data do funeral serão comunicados com a maior brevidade possível. A causa da morte não foi divulgada.

Com 86 anos - ele faria aniversário no próximo dia 12 de fevereiro -, o herdeiro é filho do último monarca do país, Umberto II, que governou apenas um mês em 1946 após a abdicação de seu pai, Vittorio Emanuele III (1900- 1946), monarca que apoiou a ascensão do ditador fascista Benito Mussolini ao poder.

A casa de Saboia governou a Itália desde a unificação em 1861 até 1946, quando os italianos votaram em um referendo institucional em 2 de junho para abolir a monarquia e criar a República.

Insultado por muitos italiano por colaborar com o fascismo antes e durante a Segunda Guerra Mundial e por fugir de Roma em 1943 para evitar o Exército invasor alemão, Umberto II e sua família foram para o exílio na Suíça.

A realeza viveu no exílio até março de 2003, quando foi cancelada a XIII disposição que proibia o retorno dos herdeiros do sexo masculino para a Itália e ele então pôde retornar ao país.

Ao longo dos anos, Vittorio Emanuele acumulou uma série de polêmicas, incluindo escândalos de corrupção e assassinato.

Em 2017, o Supremo Tribunal de Cassação estabeleceu que "o fato de os juízes franceses, em 1991, terem absolvido Vittorio Emanuele di Saboia da acusação de homicídio voluntário do alemão Dirk Hamer, de 19 anos", não significa, no entanto, "que o 'príncipe' estava isento de qualquer responsabilidade, pois ainda assume importância do ponto de vista civil e também ético que aquela morte ocorreu durante um tiroteio em que Saboia participou, fora de qualquer hipótese de legítima defesa".

No ano passado, esta história também esteve no centro da série "O príncipe que nunca foi rei", da Netflix, desenvolvida e dirigida por Beatrice Borromeo Casiraghi. A produção, porém, foi alvo de críticas de seu filho, Emanuele Filiberto, que definiu o documentário sobre o assassinato como "uma desculpa para notícias falsas".

A morte de Vittorio Emanuele ocorre poucos meses depois de, em 2023, ele e sua esposa, Marina Doria, venderem sua mansão nos arredores de Genebra e leiloarem alguns dos objetos mais exclusivos presentes na residência.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx