Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Lula acusa Israel de matar mulheres e crianças em Gaza

Segundo presidente, comportamento do país 'não tem explicação'

SÃO PAULO, 15 fevereiro 2024, 10:15

Redação ANSA

ANSACheck

Lula é recebido no Cairo pelo presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi © ANSA/EPA

(ANSA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (15), em visita ao Egito, que Israel tem a "primazia" de descumprir decisões da ONU e afirmou que o "comportamento" do país judeu na guerra na Faixa de Gaza "não tem nenhuma explicação".

As declarações foram dadas em pronunciamento conjunto com o presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, após uma reunião bilateral na capital Cairo.

Em seu pronunciamento, Lula disse que o Brasil "condenou de forma veemente" os atentados "terroristas" do Hamas em Israel e o "sequestro de centenas de pessoas" pelo grupo fundamentalista islâmico.

"Mas não tem nenhuma explicação o comportamento de Israel, a pretexto de derrotar o Hamas, estar matando mulheres e crianças, coisa jamais vista em qualquer guerra que eu tenha conhecimento", acrescentou o presidente.

De acordo com Lula, a ONU "não tem força suficiente" para evitar guerras no mundo, e "a única coisa que se pode fazer é pedir paz pela imprensa". "Mas me parece que Israel tem a primazia de descumprir, ou melhor, de não cumprir nenhuma decisão emanada da direção das Nações Unidas", salientou.

O mandatário também afirmou que, "de qualquer ângulo que se olhe, a escala da violência não encontra justificativas".

"É urgente estabelecer um cessar-fogo definitivo que permita ajuda humanitária imediata e a incondicional libertação dos reféns", destacou Lula, ressaltando que "não haverá paz sem um Estado palestino convivendo lado a lado com Israel, dentro de fronteiras mutuamente acordadas e internacionalmente reconhecidas".

O líder brasileiro ainda aproveitou a ocasião para denunciar a imobilidade das instituições multilaterais e dizer que "conta com o apoio do Egito para que a gente consiga fazer as mudanças necessárias nos órgãos de governança global", especialmente o Conselho de Segurança da ONU.

"É preciso acabar com o direito de veto e é preciso que os membros do Conselho de Segurança sejam atores pacifistas, e não atores que fomentam a guerra", disse. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx