Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Desabamento em obra de mercado em Florença mata 3 e fere outros 3

FLORENÇA, 16 fevereiro 2024, 18:05

Redação ANSA

ANSACheck

Crollo a Firenze: sindacati base, sciopero locale 19 febbraio - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Um desabamento no canteiro de obras de um supermercado em Florença, na Itália, deixou pelo menos três operários mortos e três feridos na manhã desta sexta-feira (16).

Outras duas pessoas ainda estão desaparecidas, de acordo com a Agência Sanitária Local (ASL) da Toscana, enquanto os trabalhadores resgatados com vida foram levados a um hospital, mas não correm risco de morte.

No entanto, segundo o governador toscano, Eugenio Giani, as esperanças de ainda encontrar alguém vivo nos escombros foram "reduzidas ao mínimo".

O incidente ocorreu nas obras para a construção de uma unidade da rede de supermercados Esselunga e teria sido causado pelo colapso de um dos pilares principais da estrutura.

"Estava sentada na minha sala, que dá de frente para o canteiro, quando ouvi um barulho e vi se levantar uma nuvem de poeira e alguns operários correndo em direção ao desabamento", contou Miriam, que mora nos arredores do local do acidente.

"Eu vi da janela uma trave partida onde ocorreu a queda. Não sabia que tinha gente sob os escombros", declarou.

Nas redes sociais, a premiê Giorgia Meloni expressou "condolências pelas vítimas do desabamento". "Acompanho com apreensão a evolução da situação e agradeço aos que participam da busca pelos desaparecidos e do socorro aos feridos", disse.

Já o prefeito de Florença, Dario Nardella, em viagem a Israel e Palestina, afirmou estar "consternado" pela tragédia. "Expresso em meu nome e da prefeitura o luto pelas vítimas e agradeço a todos os socorristas em ação", acrescentou.

Para protestar contra mais um caso de morte no trabalho na Itália, sindicatos da Toscana convocaram uma greve geral de duas horas nesta sexta-feira.

"Em 2023, ocorreram mais de mil mortes no trabalho, e frequentemente esses incidentes são produtos do sistema de subcontratação e da lógica de contratos com preço mínimo", disse o secretário da Confederação Geral Italiana do Trabalho (Cgil), Maurizio Landini.

Segundo a presidente da Esselunga, Marina Caprotti, a obra havia sido entregue a "uma empresa terceira", mas a rede se colocou "à disposição das autoridades para esclarecer a dinâmica do ocorrido". "Em sinal de luto, as lojas da Esselunga na cidade de Florença serão fechadas de tarde", salientou.

O Ministério Público de Florença abriu um inquérito por desabamento e homicídio culposos, ou seja, quando não há intenção de cometer os crimes. (ANSA)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx