[an error occurred while processing the directive] [an error occurred while processing the directive] Biden sanciona pacote de ajuda militar para Ucrânia e Israel - Último momento - Ansa.it
/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Biden sanciona pacote de ajuda militar para Ucrânia e Israel

'EUA não permitirão que tiranos vençam', disse o presidente

WASHINGTON, 24 abril 2024, 13:14

Redação ANSA

ANSACheck

Biden chega à Casa Branca para sancionar pacote de ajuda à Ucrânia - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sancionou nesta quarta-feira (24) o pacote de US$ 95 bilhões (R$ 488 bilhões) em ajudas militares e econômicas para Ucrânia, Israel e Taiwan, bem como a lei que determina a proibição do aplicativo chinês TikTok se a plataforma não for vendida para americanos.
    O pacote de ajuda militar foi aprovado pelo Congresso após seis meses de negociações para vencer a resistência republicana contra um novo socorro à Ucrânia, que há mais de dois anos luta contra uma invasão promovida pela Rússia.
    "Os Estados Unidos não permitirão que os tiranos vençam e não deixarão seus aliados sozinhos", afirmou Biden após sancionar a medida. Segundo o presidente, as primeiras ajudas militares para Ucrânia e Israel devem partir "nas próximas horas".
    A medida prevê US$ 61 bilhões (R$ 313 bilhões) para Kiev, que sofre com a escassez de armamentos - sobretudo baterias de defesa antiaérea - para fazer frente à invasão russa.
    Biden ainda ressaltou que o pacote "aumenta significativamente" a assistência humanitária à Faixa de Gaza, mas cobrou que Israel "garanta que as ajudas cheguem sem atrasos aos palestinos". (ANSA)
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use