Partido de Meloni rebate críticas sobre posse de Lula

Governo italiano enviou embaixador em Brasília para cerimônia

Lula e Janja fazem coração em cerimônia de posse © ANSA
Lula e Janja fazem coração em cerimônia de posse

(ANSA) - O partido da primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, rebateu nesta terça-feira (3) as críticas da oposição pelo fato de o governo não ter enviado representantes de seu alto escalão para a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em comunicado, membros da legenda de direita Irmãos da Itália (FdI) na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados se disseram "surpresos" com declarações de integrantes do Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, sobre a "suposta ausência de autoridades italianas" na posse de Lula.

"O desprazer é duplo. Antes de tudo, aquilo que foi relatado não corresponde à verdade. Não havia nenhum primeiro-ministro ou chefe de governo europeu na posse. Por exemplo, quem representou Alemanha e Espanha foram o presidente Frank-Walter Steinmeier e o rei Felipe VI. Ambas as figuras são equiparáveis ao nosso presidente da República", diz a nota.

"Em segundo lugar, está claro que não há qualquer motivo para acusar nem a premiê Meloni, nem outros representantes das instituições italianas, uma vez que quase todos os países da União Europeia estavam representados em Brasília pelo próprio embaixador, coisa que a Itália também fez, com Francesco Azzarello", afirma o comunicado.

Na última segunda (2), dois deputados do PD, partido historicamente próximo ao PT, criticaram o governo Meloni por sua postura em relação à posse de Lula, inclusive Fabio Porta, eleito pela comunidade italiana na América do Sul.

"O único grande país europeu que não enviou nenhum membro do governo foi a Itália. É um sinal de escassa atenção ao Brasil e à grande coletividade italiana que vive no país", declarou Porta. (ANSA)