/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

'Data para 1º corte de juros começa a ficar mais clara', diz BCE

'Data para 1º corte de juros começa a ficar mais clara', diz BCE

ROMA, 04 abril 2024, 20:20

Redação ANSA

ANSACheck

Cartaz de protesto contra inflação diante do prédio do BCE em Frankfurt, Alemanha © ANSA/EPA

(ANSA) - O Banco Central Europeu (BCE) sinalizou, na ata da reunião realizada entre 6 e 7 de março, divulgada nesta quinta-feira (4), que “a data para um primeiro corte nos juros começa a ficar mais claramente visível” e que “os argumentos em favor de um corte estão sendo reforçados”.

O texto ressalva, porém, que naquela ocasião os gestores tiveram consenso “sobre o fato de que seria prematuro discutir um corte dos juros” e que ainda é preciso que haja “paciência e cautela” para o processo de desinflação.

A expectativa é de que haja mais dados para embasar os passos seguintes na reunião de junho.

Na reunião de março, a taxa básica de juros da zona do euro permaneceu igual pela quarta vez seguida.

Com isso, a taxa de refinanciamento da instituição continua em 4,50%; a taxa sobre depósitos, em 4%; e a taxa sobre empréstimos marginais, em 4,75%.

A meta oficial é para que o índice de preços volte ao patamar de 2% ao ano, o que só deve ocorrer em 2025.

 
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use