[an error occurred while processing the directive] Idosa morre na Itália após ver conta de água de 15 mil euros - Variedades - Ansa.it

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Idosa morre na Itália após ver conta de água de 15 mil euros

Valor foi debitado por engano da conta da mulher de 88 anos

ROMA, 27 dezembro 2023, 10:08

Redação ANSA

ANSACheck

Em vez de 15 mil euros, a idosa italiana deveria pagar 55 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - Uma idosa que vivia em Camporosso, no sul da Itália, morreu na véspera de Natal depois de sofrer um mal súbito ao abrir uma conta de água de mais de 15 mil euros (cerca de R$ 80 mil) enviada por engano.

Caterina Giovinazzo, de 88 anos, foi levada às pressas ao hospital depois de saber que seu banco havia debitado da sua conta um total de 15.339 euros, abrangendo o período de agosto a outubro.

A cobrança incorreta, como a própria operadora de água da região admitiu, foi o suficiente para provocar a morte da mulher, que chegou a ser internada na Unidade de Terapia Intensiva.

A Iren, empresa que gere o serviço e enviou a correspondência de forma equivocada, salientou que, na verdade, o consumo máximo da casa da idosa foi de alguns metros cúbicos, o que totalizaria uma conta de 55 euros (R$ 293).

A fornecedora explicou que o erro ocorreu devido a uma troca de cobrança por parte de um funcionário de uma outra empresa contratada para fazer as métricas. O valor da fatura, provavelmente, se referia ao consumo de uma empresa.

O prefeito de Camporosso, Davide Gibelli, descreveu a morte da idosa como um "episódio gravíssimo".

Apesar dos pedidos de desculpas da Iren e a devolução de todo o dinheiro debitado, a família de Giovinazzo pretende contratar um advogado para esclarecer o assunto.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx