Andaimes da Torre de Pisa protegerão ponto turístico de Bolonha

Estruturas de aço serão instaladas para salvar a Garisenda

O prefeito da cidade emiliana, Matteo Lepore, afirmou que o uso das estruturas fará a Garisenda deixar a fase amarel (foto: ANSA)
O prefeito da cidade emiliana, Matteo Lepore, afirmou que o uso das estruturas fará a Garisenda deixar a fase amarel (foto: ANSA)

(ANSA) - A Torre Garisenda, um dos principais símbolos de Bolonha e que está isolada pelo risco de colapsar, será protegida por andaimes de aço já utilizados na popular e mundialmente conhecida Torre de Pisa.

O prefeito da cidade emiliana, Matteo Lepore, afirmou que o uso das estruturas fará a Garisenda deixar a fase amarela, que sinaliza perigo relativo, para entrar na faixa verde do alerta.

Além disso, o político garantiu que a medida permitirá "reduzir significativamente os tempos de intervenção" no local, um dos pontos mais visitados de Bolonha.

"O objetivo é acelerar, fazer todo o processo bem e tornar a Garisenda completamente segura ainda em 2024. Já nos anos de 2025 e 2026, haverão novas obras de consolidação e de restauração, mas ainda carecem de planejamento", analisou.

Lepore estimou que levará por volta de seis meses para adaptar os andaimes à construção, além de confirmar que os contêineres vermelhos posicionados ao redor das duas torres bolonhesas permanecerão para garantir mais segurança.

O Ministério da Cultura já destinou cerca de cinco milhões de euros para consertar a Garisenda, que tem 48 metros de altura e foi erguida ao lado da Torre degli Asinelli, que possui quase 100 e, ao contrário da vizinha, é reta.

No fim de outubro, a área foi isolada preventivamente por causa de oscilações anômalas na estrutura da Garisenda. As autoridades locais afirmaram que a construção estava em um preocupante estado de estabilidade e vinha "cambaleando".

As Torres Garisenda e Asinelli são as poucas sobreviventes de inúmeras que Bolonha tinha durante a Idade Média. Na época, as famílias ricas competiam para ter a estrutura mais alta. (ANSA).