/ricerca/brasil/search.shtml?any=
Mostre menos

Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Papa Francisco pede por ações 'mais concretas' sobre clima

CIDADE DO VATICANO, 23 julho 2023, 09:42

Redação ANSA

ANSACheck

Papa relembrou os eventos climáticos extremos que estão acontecendo ao redor do mundo - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

(ANSA) - O papa Francisco pediu neste domingo (23) que os líderes dos países ajam mais concretamente sobre o clima.

Durante a celebração do tradicional Angelus, o líder da Igreja Católica relembrou os eventos climáticos extremos que estão acontecendo ao redor do mundo.

"Por um lado, várias regiões são afetadas por ondas de calor anômalas e incêndios devastadores. Por outro, em muitos lugares há tempestades e inundações, como as que assolaram a Coreia do Sul nos últimos dias", disse o Papa.

O religioso reafirmou sua proximidade com as pessoas que foram afetadas pelos fenômenos, além de cobrar por ações mais concretas em relação ao tema por parte dos governantes.

"Renovo o meu apelo aos dirigentes das nações para que façam algo mais concreto para limitar as emissões de poluentes, é um desafio urgente e inadiável. Vamos proteger a nossa casa comum", comentou o Pontífice.

Além de falar sobre a crise climática, o Papa também comentou sobre migração. No Angelus, que recebeu cerca de 20 mil pessoas, Francisco desejou que o Mediterrâneo não seja mais um "teatro de morte e desumanidade".

Por fim, o religioso renovou seus pedidos por paz na Ucrânia, além de ter lamentado os ataques russos em Odessa.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Veja também

Ou use