Se hai scelto di non accettare i cookie di profilazione e tracciamento, puoi aderire all’abbonamento "Consentless" a un costo molto accessibile, oppure scegliere un altro abbonamento per accedere ad ANSA.it.

Ti invitiamo a leggere le Condizioni Generali di Servizio, la Cookie Policy e l'Informativa Privacy.

Puoi leggere tutti i titoli di ANSA.it
e 10 contenuti ogni 30 giorni
a €16,99/anno

  • Servizio equivalente a quello accessibile prestando il consenso ai cookie di profilazione pubblicitaria e tracciamento
  • Durata annuale (senza rinnovo automatico)
  • Un pop-up ti avvertirà che hai raggiunto i contenuti consentiti in 30 giorni (potrai continuare a vedere tutti i titoli del sito, ma per aprire altri contenuti dovrai attendere il successivo periodo di 30 giorni)
  • Pubblicità presente ma non profilata o gestibile mediante il pannello delle preferenze
  • Iscrizione alle Newsletter tematiche curate dalle redazioni ANSA.


Per accedere senza limiti a tutti i contenuti di ANSA.it

Scegli il piano di abbonamento più adatto alle tue esigenze.

Papa pede que uso da Inteligência Artificial seja regulamentado

Religioso teme que tecnologia seja usada de forma distorcida

CIDADE DO VATICANO, 24 janeiro 2024, 17:37

Redação ANSA

ANSACheck

Pontífice recordou que foi alvo de fotos falsas que o mostravam usando um moderno casaco e andando de moto © ANSA/EPA

(ANSA) - O papa Francisco cobrou nesta quarta-feira (24) a necessidade de uma regulamentação internacional da Inteligência Artificial (IA) para evitar que a tecnologia seja usada de forma distorcida.

"Já entendemos a ambivalência ao vivenciar em primeira mão, ao lado das oportunidades, também os riscos e as patologias. É importante ter a possibilidade de compreender e regulamentar ferramentas que, em mãos erradas, podem abrir cenários negativos", analisou o religioso.

"Como tudo o que vem da mente e das mãos do homem, os algoritmos não são neutros. Portanto, é necessário agir preventivamente, propondo modelos de regulação ética para conter as implicações prejudiciais, discriminatórias e socialmente injustas", acrescentou.

Além de alertar sobre os riscos da IA, o líder da Igreja Católica falou dos problemas provocados pelas "deep fakes", que é a criação de vídeos e áudios falsos por meio da tecnologia. O pontífice até recordou que foi alvo de fotos não verdadeiras dele usando um moderno casaco e andando de moto.

"A simulação, que está na base destes programas, pode ser útil em alguns campos específicos, mas torna-se perversa ao distorcer a relação com os outros e a realidade", disse Francisco.

Por fim, o religioso declarou que é o homem quem decide como usar e desenvolver a Inteligência Artificial e lançou uma reflexão para os fiéis.

"Cabe ao homem decidir se deve se tornar alimento para os algoritmos ou nutrir seu coração com liberdade, sem a qual não poderá crescer em sabedoria", disse.
   

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © Copyright ANSA

Imperdíveis

Compartilhar

Ou use

Último momento

404 Not Found

404 Not Found


nginx