Matera recebe evento de 2 dias sobre turismo de raízes

Segunda edição da iniciativa ocorreu em 20 e 21 de novembro

Objetivo é promover o turismo, aproximando os operadores nacionais e internacionais (foto: ANSA)
Objetivo é promover o turismo, aproximando os operadores nacionais e internacionais (foto: ANSA)

(ANSA) - A segunda edição do "Roots-in", bolsa internacional de turismo de raízes, foi realizada em Matera nos dias 20 e 21 de novembro.

O evento, desejado pelo governo da Basilicata e organizado pela APT Basilicata em colaboração com a Enit e o patrocínio do Ministério das Relações Exteriores, incluiu uma programação intensa e cujo tema dominante foi a relação entre o turismo das raízes e a regeneração de vilarejos.

O objetivo é promover o turismo, aproximando os operadores nacionais e internacionais para facilitar as viagens de regresso às raízes de famílias da Basilicata que deixaram sua terra natal. Os números da segunda edição e o impacto no território regional foram ilustrados pelo governador Vito Bardi, pelo diretor-geral da APT, Antonio Nicoletti, pela gerente de marketing da agência de promoção territorial, Stefania Bruni, e pelo coordenador do Roots in Lab, Fabrizio Tudisco.

O evento teve 89 convidados estrangeiros, vindos da América do Norte, América do Sul, Europa e Austrália, alguns também acompanhados por influenciadores do seu próprio país, que durante três dias realizaram um pré-tour nos vilarejos da Basilicata envolvidos no projeto. Depois eles mergulharam nos dois dias de evento em Matera para ter contato direto com mais de 50 "compradores" e 94 "vendedores" internacionais.

Foram promovidos mais de 2 mil encontros nos espaços expositivos, que englobaram não só empresários do setor, mas também 10 regiões italianas. Outra novidade desta segunda edição foram as oficinas de formação para todos os participantes, divididas em 25 encontros com 50 palestrantes para compartilhar boas práticas.

"Registramos um aumento percentual considerável no turismo estrangeiro justamente dos países dos compradores que participaram da primeira edição, ou seja, Argentina, Canadá, EUA; este último cresceu 44% em relação a 2019", disse Nicoletti. (ANSA)